Connect with us

Destaque

Liderado por Victor Coelho, Conselho Regional de Desenvolvimento do Sul do ES define propostas

Postado

on

O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, esteve, nesta quinta-feira (12), no município de Castelo para coordenar mais uma reunião do Conselho Regional de Desenvolvimento da Microrregião Central Sul, do qual é presidente.

O objetivo do encontro, foi discutir e alinhar as diretrizes de trabalho definidas, anteriormente, para serem apresentadas, em breve, ao Governo do Estado. Entre as pautas, as propostas de melhorias na infraestrutura, fortalecimento de cadeias produtivas e de gestão na área da saúde.

Estiveram presentes, também, lideranças políticas, entre eles, o prefeito de Castelo, Domingos Fracaroli; o Presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF), Mário Louzada; representantes da Federação das Indústrias do Espirito Santo (Findes), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae ES), entre outros.

Criados no ano passado, pelo Governo do Estado, os nove conselhos regionais têm o objetivo de promover o desenvolvimento de cada município envolvido no Plano Regional de Desenvolvimento. O conselho da microrregião Central Sul, além de Cachoeiro de Itapemirim, é formado pelos municípios de Castelo, Vargem Alta, Jerônimo Monteiro, Muqui, Atílio Vivácqua, Mimoso do Sul e Apiacá.

“Hoje, dentro desses grupos temáticos, começamos a definir as prioridades de implementação que beneficiariam os municípios que fazem parte desse eixo. Temos temas emergenciais como, por exemplo, planos de prevenção a desastres naturais e de longo prazo, como mecanismos para o desenvolvimento econômico regional. Para o nosso município, por exemplo, é muito importante o acompanhamento de elevação do nível do rio Itapemirim. Tivemos a enchente em janeiro e com a instalação de equipamentos que fazem esse monitoramento, contribuiria para evitarmos novos transtornos”, frisou Victor Coelho.  

“Como são várias proposições dentro dos temas apresentados, é importante definirmos as demandas possíveis para execução e que garantam o desenvolvimento de forma equilibrada e viável. As propostas devem ser alinhadas ao máximo para serem apresentadas ao Governador, para que regiões sejam atendidas com os recursos necessários”, disse o presidente do IDAF, Mário Louzada.

O Plano Regional de Desenvolvimento conta com a gestão conjunta das Secretarias de Estado de Desenvolvimento (Sedes), de Economia e Planejamento (SEP), de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), de Economia e Planejamento (SEP), da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).